Abril 24 2010

 Que seja eterno o 25 de Abril, 
  Que se respeite a igualdade                     
  E que venham sempre aos mil, 
  Os que defendem a Liberdade!

 

 Quero ser livre e consciente, 
 Que para poder hoje escrever, 
 Houve nas masmorras muita gente, 
 Por liberdade de expressão não ter!

 

 36 anos passados de cravo ao peito, 
 Há quem os queira a murchar, 
 E apagar da história esse feito, 
 Mas não há quem tenha o direito 
 Das conquistas de Abril nos retirar!

 

 Quero ser livre e continuar a ser, 
 Quero ter os direitos do meu vizinho, 
 Gritar, cantar, intervir e poder 
 Percorrer sem medos o meu caminho

 

Abril SEMPRE, em Janeiro ou em Março,
Abril SEMPRE, em casa ou fora dela,
Abril SEMPRE, na ternura de um abraço,
Ou num beijo doce roubado à janela,

 

Que se explique ao mais novo,
A pormenor, como a revolução se fez,
Que 25 de Abril foi a vitória de um povo,
Que foi vitória do povo português!

publicado por MiguelBeirão às 11:31

Este é o lugar para que, sem correntes, possas continuar a dar voz à poesia popular, assim tu o queiras!
Parabéns por este novo projecto que para já começa muito bem, com um poema de grande significado e se a verdade é dita
"Que seja eterno o 25 de Abril,
Que se respeite a igualdade
E que venham sempre aos mil,
Os que defendem a Liberdade!"

também se poderá dizer que:

Abril que trazem esquecido
Não esmorece a convicção
Que jamais estará perdido
Na força da nossa razão!

Um abraço neste dia que hoje comemoramos!






Utopia das Palavras a 25 de Abril de 2010 às 13:17

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO